Espalhe por Whatsapp

Os recordes mais vergonhosos da história da NBA

Ricardo Romanelli
Ricardo Romanelli

Alguns jogadores e times se eternizam no panteão da NBA graças a performances e marcas históricas que quebram recordes e se tornam símbolo de grandeza. Só que para alguns brilhares, outros precisam fracassar. Na outra face desta moeda, estão os atletas e equipes que atingiram as piores marcas em alguns quesitos ao longo da história. Trazemos alguns destes recordes vergonhosos a seguir.

Menor pontuação e aproveitamento em um jogo

Image title

O Chicago Bulls foi do céu ao inferno em 1998. Depois de vencer seu segundo tricampeonato entre 1996 e 98, o time perdeu Michael Jordan, Scottie Pippen e Phil Jackson, entre outros, para a temporada de 1998-99. Em franca reconstrução, as expectativas do Bulls para a temporada já não eram altas, mas o fundo do poço veio em 10 de abril de 1999, já no final da temporada.

O time de Chicago perdeu para o Miami Heat por uma diferença de 33 pontos. Isso por si não é nada de muito diferente, mas o Bulls anotou apenas 49 pontos em toda a partida, com aproveitamento terrível de 23,4% dos arremessos no jogo.

O maior pontuador da equipe na partida foi o reseva Kornel David, com 13 pontos, seguido de Toni Kukoc, com 10. Além deles, nenhum outro atleta do Bulls anotou duplos dígitos. Os maiores pontuadores do Heat foram Tim Hardaway (22), Alonzo Mourning (19) e Jamal Mashburn (14). Os três somados anotaram 55 pontos, seis a mais do que o time inteiro do Bulls. 

Esta marca, entretanto, diz respeito apenas aos jogos depois da introdução do relógio de 24 segundos, em 1954. Antes disso, a marca de menos pontos num jogo pertencia ao Minneapolis Lakers, que anotou apenas 18 pontos na derrota para o Fort Wayne Pistons por 19 x 18. Somados, os dois times fizeram menos que o Bulls nesta partida. O relógio de 24 segundos acelerou o ritmo de jogo e mudou o basquete para sempre.

Maior derrota em um jogo

E se o Heat pode se orgulhar de ter segurado o Bulls ao menor total de pontos na história, com certeza não gostaria de relembrar que é sua a maior derrota da história da NBA. Durante a temporada de 1991-92, o Cleveland Cavaliers atropelou o Heat por 148 x 80, ou seja, venceu por 68 pontos.

O mais bizarro desta partida é que foi uma grande atuação coletiva por parte do Cavs, com nenhum atleta anotando mais do que 18 pontos na partida. John Battle (18), Henry James (17) e Brad Daugherty (17) lideraram o time, mas oito jogadores fizeram mais do que 10 pontos e todos os doze atletas disponíveis entraram em quadra, com todos eles jogando mais do que 10 minutos. É um dos box scores mais equilibrados da história.

Mais arremessos, lances-livres e bolas de três erradas num jogo

Image title

Não se assuste, pois não é um único jogador que possui essa marca.

Quem mais errou arremessos em uma única partida foi Joe Fulks, do Philadelphia Warriors (atual Golden State Warriors), na longínqua temporada de 1947-48.

Em uma partida contra o Providence Steamrollers, ele errou incríveis 42 de suas 55 tentativas de arremesso, ou seja, teve um aproveitamento de 13-55 (26,3%). Mesmo se ele não tivesse esta partida terrível no currículo, ele teve outros jogos ao longo da carreira com péssimo aproveitamento, como 4-31, 6-38, 5-31, 7-36, 7-40 e 8-46.

Já a marca de mais lances-livres perdidos pertence a um jogador contemporâneo. O pivô Andre Drummond, do Cleveland Cavaliers, melhorou muito ao longo da carreira, mas suas dificuldades na linha de bonificação em suas primeiras temporadas eram notáveis. Durante a temporada de 2015-16, o Houston Rockets se aproveitou disso e fez diversas faltas intencionais em Drummond para fazê-lo perder pontos na linha de lances-livres.

Foram 21 faltas propositais, e Drummond converteu apenas 13 de suas 36 tentativas totais ao longo do jogo. Mesmo com o recorde de 23 lances-livres errados na partida, Drummond e o Detroit Pistons saíram vitoriosos por 123 x 114.

E por fim, um atleta do próprio Rockets é um dos dois que empatam na categoria de mais de bolas de três erradas em um jogo. James Harden e Damon Stoudamire erraram 16 bolas de três em um único jogo. Harden “vence” o desempate, entretanto, por ter alcançado esta marca em seis oportunidades diferentes, entre as temporadas 2017-18 e 2018-19.

A pior destas atuações foi uma performance de 1-17 de aproveitamento contra o Orlando Magic, mas mesmo assim o barba anotou 38 pontos, 12 assistências e 9 rebotes nesta oportunidade.

Image title

Já a performance de Stoudamire veio em 2005, em jogo contra o Golden State Warriors. A marca do armador é proporcionalmente pior que a de Harden, já que naquela época os times arremessavam, em média, apenas 16 bolas de três em toda a partida.

Mais bolas de três perdidas por um time

E já que o assunto é Rockets e bolas de três, vale lembrar que o time possui a marca de mais arremessos de longe errados de maneira consecutiva em uma única partida, com 27 erros. Para piorar, este recorde veio em 2018, no jogo 7 da Final do Oeste contra o Golden State Warriors, no jogo mais importante do time desde o bicampeonato em 1994 e 95.

Com tantas bolas de três erradas no segundo tempo da partida, o Rockets viu sua liderança no intervalo por 54 x 43 se transformar em uma derrota por 101 x 92 que mandou o Warriors para as Finais da NBA, onde a equipe conquistou seu terceiro título em quatro anos.

Carreira mais curta na NBA

A maioria dos jogadores que são draftados acaba não tendo longa carreira na NBA, trocando a liga por outras competições ou até mesmo se aposentando depois de poucos anos.

Nenhum deles, entretanto, supera JamesOn Curry. O armador, que não é parente de Steph Curry, foi selecionado pelo Chicago Bulls no Draft de 2007, e não chegou a jogar pela equipe. Após sua dispensa, ele jogou pela D-League (atual G-League) e times na França, antes de finalmente ter sua chance de voltar à NBA através de um contrato de 10 dias com o Los Angeles Clippers.

Ele entrou em quadra apenas uma vez neste período, nos 3,9 segundos finais de uma derrota para o Boston Celtics em janeiro de 2010. Seu vínculo não foi renovado ao final dos 10 dias, e com isso sua carreira na NBA durou apenas 3,9 segundos.

Mais turnovers em um jogo

Image title

Os turnovers, ou desperdícios de bola, sempre foram vistos como uma das estatísticas mais negativas que um jogador pode ter. Mesmo grandes criadores de jogadas não estão imunes a cometer estes erros, e Jason Kidd é a prova viva disso.

O armador campeão da NBA e membro do Hall da Fama foi um dos maiores assistentes da história da liga, liderando a NBA neste quesito em cinco oportunidades. Com mais de 12 mil assistências na carreira, ele é o segundo jogador que mais distribuiu passes decisivos na história.

Mesmo assim, tem como mancha em seu currículo o recorde de mais turnovers em uma única partida. Esta atuação veio em sua última temporada com o Phoenix Suns, em 2000-01. Ele desperdiçou 14 bolas neste jogo, e bizarramente ainda anotou um triple-double com 18 pontos, 12 rebotes e 10 assistências. Se contar os turnovers, dá pra considerar um quadruple-double, mas dá pra presumir que Kidd prefere deixar apenas como TD, correto?

Maior sequência de derrotas

A tática de perder propositadamente para melhorar as chances no Draft, ou seja, o famoso “tank”, é bastante comum na NBA. Alguns times levam isso ao extremo, como o Cleveland Cavaliers de 2010-11 e o Philadelphia 76ers de 2013-14.

Ambos os times perderam 26 jogos em sequência no decorrer destas campanhas, e particularmente o Sixers ficou marcado por isso, já que o então General Manager Sam Hinkie abraçava a tática de perder jogos e a chamava de “processo”, pedindo aos torcedores que confiassem no processo.

E o processo de Hinkie valeu a pena, já que o Sixers conseguiu a terceira escolha no Draft neste ano e usou para selecionar o pivô Joel Embiid, seu atual astro. Já o Cavs alcançou a quarta escolha no Draft de 2011 e selecionou Tristan Thompson, pivô que está no time até hoje e foi muito importante para a conquista de seu único título, em 2016.

Os dois times, entretanto, conseguiram evitar a marca de pior campanha da história da liga, que vai concluir nossa lista.

Pior campanha da NBA

Image title

A temporada de 2011-12 foi encurtada por um locaute, e por isso os times jogaram apenas 66 partidas. Isso não impediu que o Charlotte Bobcats (atual Hornets) fizesse história. A equipe conquistou apenas 7 vitórias e 59 derrotas, com aproveitamento pífio de apenas 10,6%.

A sorte do Bobcats foi que, por conta do locaute, o time não teve “tempo” de alcançar a marca de mais derrotas da história da NBA, que pertence ao Phildelphia 76ers de 1973. O time de Philly fez campanha de 9-73 nesta temporada, e reina supremo como o time com mais derrotas da história da liga.

Dá um play e confira o que rola no nosso podcast!