Espalhe por Whatsapp

A estreia de Stephen Curry na NBA

Renato Campos
Renato Campos

Parece que foi ontem, mas já fazem oito anos que Stephen Curry jogou a sua primeira partida na NBA.

A estreia de um dos nomes mais populares da liga atualmente aconteceu no dia 28 de outubro de 2009. Naquela época, Curry tinha a seu lado no quinteto titular do Warriors um elenco bastante diferente do que a franquia tem hoje. Stephen Jackson, Ronny Turiaf, Andris Biedrins e Monta Ellis faziam do Warriors um time bastante discreto e sem muitas pretensões. O adversário era o Rockets de Trevor Ariza. Luis Scola e do então reserva Kyle Lowry.

A partida aconteceu em Oalkand, disputada até o final, o Rockets levou a melhor ao vencer por apenas um ponto, 108-107. Curry jogou por 35 minutos, marcou 14 pontos, deu sete assistências e ainda roubou quatro bolas. Na época, em entrevista para a revista GQ, Curry contou como foi o seu dia antes do grande momento de sua vida:

Na quarta feira, eu acordei por volta das 9:30 e fui tomar meu café da manhã. Lembro ter comido um pão com queijo e ovos e também um waffle. Por volta das 11 da manhã, me encontrei com o time para um shoot-around no ginásio. Terminando as atividades, voltei pra casa e tirei um bom cochilo de três horas. Minha mãe veio de Charlotte para assistir minha estreia e ficou no quarto extra do meu apartamento. Ela cozinhou meu spaghetti favorito e logo após comecei a me preparar para o jogo. No dia, meu pai estava trabalhando no jogo de estreia do Bobcats, não conseguiu vir me assistir.

No caminho do ginásio, eu fiquei um pouco apreensivo porque não estava acostumado com o transito da cidade. Eu tinha horário para começar os trabalhos de aquecimento com meus companheiros. Normalmente eu levo 10 minutos até lá, mas com todo o transito, confesso que fiquei um pouco estressado. Acabou que deu tudo certo e eu cheguei a tempo. Lá encontrei uma equipe de filmagem que iria documentar o meu primeiro dia na NBA. Os caras queriam filmar tudo, mas como não marcamos um horário, acabaram perdendo o momento que cheguei ao estacionamento. Fui para o vestiário direto e lá os encontrei, fizeram eu voltar e fingir que estava chegando naquele momento. Acabei me atrasando um pouco por isto, mas no final das contas tudo se resolveu.

Algumas horas antes do jogo começar, a entrada dos torcedores foi liberada. Essa hora a torcida aproveita pra tentar pegar um autógrafo, acabei dando uns dois e voltei para o vestiário para colocar o uniforme de jogo.

Dei entrevistas antes da partida dizendo que estaria muito nervoso, mas quando entrei em quadra foi tudo muito natural

Poucos minutos antes da partida começar meus companheiros me incentivavam. Me disseram para me divertir e suar a camisa. Eu era o segundo jogador mais jovem do elenco, mas o mais novo já tinha jogado no ano anterior. Foi a hora que realmente percebi que era o único calouro daquele time. Estava muito agitado, não conseguia nem sentar enquanto estávamos no vestiário. Os veteranos olhavam pra mim do tipo: "será que esse cara não sabe que iremos jogar 82 partidas?" Realmente é uma longa jornada para um novato. Eu fiquei esperando que o treinador me dissesse algo, mas ele não falou nada diferente do que já havia dito antes das partidas da pré-temporada. Então entendi que eu estava pronto para a partida.

Estava na hora de entrar em quadra. Foi o momento que fiquei mais nervoso em toda noite. Dava pra ouvir a torcida lá fora e estavamos todos muito animados. Um de nossos capitães fez um ótimo discurso e depois me 'trolaram' deixando eu correr para a quadra sozinho enquanto todos me assistiam de longe sozinho no meio da quadra.

Era hora da introdução e tudo estava pronto. As dançarinas estavam em quadra e no telão videos mostravam lances da nossa pré-temporada. O nome de cada jogador foi anunciado e eu fui o penúltimo da lista. Foi um momento muito intenso na minha vida. Vi que minha mãe chorava na arquibancada quando chamaram o meu nome.

Eu disse para vários repórteres antes da partida que eu achava que me sentiria um pouco nervoso em quadra, mas me senti bastante confortável naquele momento. Não parecia ser diferente dos meus dias na universidade.

Nós acabamos perdendo o jogo por um ponto, a torcida estava realmente nos apoiando, principalmente no final da partida quando o jogo estava bem apertado. Era uma experiência muito diferente do que quando estava na universidade, a torcida em Oakland é sensacional. Foi a minha primeira surpresa.

Ficamos desapontados porque lutamos muito para tentar conquistar aquela vitória, mas estavamos otimistas pelo que fizemos. Era apenas a primeira partida. Queriamos vencer na estreia, mas ainda tinhamos 81 jogos pela frente.

Após a partida, fui pra casa com minha mãe e namorada e fizemos algo para comer. Tudo fecha muito cedo em Oakland, então meu apartamento era o único lugar com comida naquele momento. Vimos os melhores momentos da partida, um pouco dos outros jogos e logo depois fui dormir.

Dá um play e confira o que rola no nosso podcast!