Espalhe por Whatsapp

Jay Williams: o talentoso armador que perdeu a carreira para uma motocicleta

31 de Agosto | Ricardo Romanelli

O ano era 2002. O Chicago Bulls vivia, ainda, uma ressaca da inigualável Era Jordan. Com uma campanha de apenas 21 vitórias em 2001-02, a franquia viu a sorte sorrir para si na Loteria do Draft e conquistou a segunda escolha no recrutamento de 2002.

Naquele ano, os principais recrutas eram o chinês Yao Ming e dois atletas de Duke, o armador Jay Williams e o ala Mike Dunleavy Jr., filho do técnico Mike Dunleavy. Outros nomes compuseram os prospectos de loteria, como o brasileiro Nenê, selecionado na 7ª escolha pelo New York Knicks, o pivô Amar'e Stoudemire (Phoenix Suns - 9ª escolha), o ala Caron Butler (Miami Heat - 10ª escolha), entre outros.

O Houston Rockets, dono da primeira escolha, selecionou Yao Ming. O tamanho do chinês e seu potencial de marketing eram muito grandes para que o Rockets sequer pensasse em outra coisa.

Na segunda escolha, o Bulls precisaria decidir entre um dos companheiros de equipe da Duke University, que haviam vencido o título da NCAA naquela temporada. A franquia foi com Jay Williams.

Ele era um jogador de encher os olhos. Liderou a tradicional universidade de Duke ao título com um estilo de jogo que impressionava pela velocidade e facilidade com que mudava de direções e driblava a bola. Excelente arremessador de 3 pontos e um verdadeiro líder em quadra. Seu estilo de jogo lembrava bastante o que é Damian Lillard atualmente.

Com ele, o futuro do Bulls parecia garantido. Chad Ford, da ESPN, listou o atleta como o 8º melhor prospecto de Draft desde o ano 2000, estando na frente dele apenas nomes como LeBron James, Greg Oden, Yao Ming, Kevin Durant, Anthony Davis, Darko Milicic e Carmelo Anthony. Oden e Milicic não deram certo, é claro, mas eram prospectos muito bem avaliados antes da seleção.

Williams jogou, ainda o campeonato mundial de basquete da FIBA pela seleção dos EUA, em 2002.

No entanto, logo veio a tragédia. Em 19 de junho de 2003, pouco depois de completar sua primeira temporada na NBA e 3 dias antes de completar 1 ano de sua seleção no Draft, Williams se envolveu em um acidente de moto nas ruas de Chicago.

Ele bateu a Yamaha R6 que pilotava no cruzamento das ruas Fletcher e Honore no norte de Chicago. O atleta não estava usando capacete, não tinha licença para pilotar motocicletas no estado de Illinois e ainda violou seu contrato com o Bulls ao pilotar a moto. Por padrão, todos os contratos de atletas da NBA proíbem que eles façam certas atividades perigosas, sendo que pilotar motocicletas é uma delas.

Williams era conhecido por correr com sua moto pelas ruas de Chicago à noite, e não se sabe se o Bulls tinha conhecimento desta situação.

Após o acidente, ele teve severos danos a um nervo em sua perna, além de uma fratura na bacia e três ligamentos deslocados em seu joelho, incluindo o temido ligamento anterior cruzado.

Por ser uma violação de contrato, o Bulls não precisaria pagar nada a ele, mas a franquia ainda lhe pagou US$ 3 milhões quando rescindiu seu contrato para ajudá-lo com as despesas de recuperação. Semanas depois, o Bulls selecionou o armador Kirk Hinrich no Draft de 2003, e ficou claro que Williams não era mais visto como o armador do futuro da franquia.

O atleta declarou que passou por uma recuperação muito difícil, chegando a se viciar em analgésicos que comprava no mercado paralelo. Em 2006, ele tentou um retorno à NBA, assinando com o New Jersey Nets, equipe de seu estado natal. A tentativa de retorno foi frustrada, e menos de um mês depois Williams foi dispensado pelo Nets. Depois de uma pequena passagem pelo Austin Toros, da D-League, e uma tentativa de fazer parte do elenco do Miami Heat, em 2010, ele finalmente desistiu de perseguir uma carreira no basquete e se aposentou oficialmente.

Hoje, Jay Williams é comentarista de basquete universitário da ESPN, além de dar palestras motivacionais pelo país. Em 2016, lançou sua autobiografia: "Life Is Not an Accident: A Memoir of Reinvention". Em tradução livre, "A vida não é um acidente: uma memória de reinvenção", onde narra sua recuperação e como lidou com a frustração de passar de um dos futuros astros da NBA a ter sua carreira interrompida por um acidente de moto.

Curta a Hoop78 no Facebook

Siga: Acompanhe o Hoop78 nas Redes Sociais:
facebook
twitter
instagram