Chick Hearn: a voz que redefiniu o basquete
Espalhe por Whatsapp

Chick Hearn: a voz que redefiniu o basquete

Ricardo Romanelli
Ricardo Romanelli

Você pode não saber quem foi Chick Hearn, mas com certeza já viu expressões como "slam dunk" e "air ball", não viu? Pois saiba que foi Hearn, um dos pioneiros da narração no basquete, que popularizou estas e tantas outras expressões e convenções do basquete.

O apelido curioso

Chick Hearn era narrador dos jogos do Los Angeles Lakers. Seu nome completo era Francis Dayle Hearn, mas ficou com o apelido de "chick" porque um dia seus amigos lhe pregaram uma peça. Quando era atleta amador, lhe deram uma caixa que supostamente estaria cheia de pares de tênis, e na verdade havia uma galinha (chicken) viva dentro, para que ele se assustasse quando abrisse.

Mais de 3.000 transmissões seguidas pelo Lakers

Chick começou a trabalhar para o Lakers na temporada de 1960-61, quando o time se mudou de Minneapolis para Los Angeles, e permaneceu no posto até pouco antes de sua morte, em 2002. Em 20 de novembro de 1965, ele iniciou aquela que seria, até hoje, a maior sequência de jogos ininterruptos de um narrador com seu time: 3.338 transmissões de partidas de temporada regular e playoffs, interrompida em 16 de dezembro de 2001, dois dias antes em que ele precisou fazer uma cirurgia cardíaca que o afastou das transmissões. A grande curiosidade é que sua primeira partida da sequência foi contra o San Francisco Warriors, e ela terminou contra o Golden State Warriors, a mesma franquia, então renomeada. Chick voltou às transmissões mais tarde naquela temporada, em abril de 2002, e permaneceu em seu posto até o final da campanha. Seu último jogo como narrador foi em 12 de junho de 2002, quando o Lakers completou a varrida sobre o New Jersey Nets e conquistou o tricampeonato da NBA.

01

Ao lado de Pat Riley durante tributo a sua homenagem.

Entre 1960 e 1965, quando começou sua sequência, ele perdeu apenas dois jogos: um porque o mau tempo impediu que seu voo decolasse e outro porque o Lakers tinha lhe dado outra tarefa no dia.

Neste período de quatro décadas, Hearn narrou os principais momentos da história do Lakers: as derrotas para o Boston Celtics na década de 1960, a temporada de 33 vitórias consecutivas e o título da NBA em 1972 com Jerry West e Wilt Chamberlain, a era do Showtime de Magic Johnson e Kareem Abdul-Jabbar e o tricampeonato de Shaquille O'neal e Kobe Bryant. É a voz dele que ficou eternizada narrando o momento em que Abdul-Jabbar se tornou o maior cestinha da história da NBA, o famoso "junior sky-hook" de Magic Johnson no jogo 4 das Finais de 1987 e o épico retorno do Lakers contra o Portland Trail Blazers no jogo 7 das finais do Oeste em 2000, entre outros.

Slaaam Dunk!

Mais do que os momentos épicos, ele também foi responsável por muito do palavreado e costumes que até hoje são utilizados para comentar basquete. Além de "slam dunk" e "air ball", Chick foi o primeiro a estimar a distância dos arremessos. Quando hoje você ouve um narrador dizendo "LeBron takes a shot from 5 feet", é graças a ele. Ele também criou as expressões "finger roll", "dribble drive" e "garbage time", todas muito conhecidas no jargão atual do basquete. Ele também tinha frases características para ilustrar situações. A mais famosa delas, era uma frase dita por ele quando o Lakers tinha uma vantagem definitiva em uma partida, e ele decretava a vitória da equipe: "You can put this one in the refrigerator! The door is closed, the lights are out, the eggs are cooling, the butter is getting hard and the jello is jiggling" (tradução literal: "Pode colocar essa na geladeira! A porta está fechada, as luzes se apagaram, os ovos estão gelando, a manteiga está ficando dura e a geléia está balançando.") Os fãs do Lakers, obviamente, ficavam felizes demais quando ele dizia isso, e essa se tornou sua frase mais conhecida.

Pode colocar essa na geladeira! A porta está fechada, as luzes se apagaram, os ovos estão gelando, a manteiga está ficando dura e a geléia está balançando. @ChickHearn

Enquanto ele esteve vivo, o Lakers fazia transmissões simultâneas com sua narração na TV e no rádio. Sua maneira de contar o que estava acontecendo em quadra era tão fiel e envolvente que a mesma narração que servia para a TV, seria para o rádio. Este é um fato único nas transmissões modernas, já que a maioria dos times contratou equipes separadas quando as transmissões de TV ficaram populares. Com sua morte, o Lakers também seguiu este caminho.

Imortalizado em Los Angeles

Ele foi, ainda o mestre de cerimônias de eventos como entrega de anéis de campeão para jogadores, comemorações oficiais e aposentadoria de camisas. Quando ele alcançou 3.000 jogos em sua sequência, Shaquille O'neal, então astro do Lakers, disse que era um marco incrível, e que ele provavelmente nunca tinha feito 3.000 vezes de nada em sua vida. Quando o Lakers se mudou do Forum de Inglewood para o Staples Center, de 2009, a sala de imprensa do ginásio recebeu seu nome em homangem. Ele tem ainda uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood.

04

Camisa imortalizada no Staples Center

Falecimento aos 85 anos

Hearn tinha planos de trabalhar mais uma temporada após o tricampeonato do Lakers, mas infelizmente veio a falecer durante a offseason daquele ano, no dia 05 de agosto de 2002. Aos 85 anos, sofreu uma queda em casa, onde bateu a cabeça. Ele não resistiu ao ferimento e sucumbiu dias depois no hospital. Ele teve um filho e uma filha, ambos já falecidos no momento de sua morte, e foi sepultado junto a eles.

O Los Angeles Lakers e a cidade de Los Angeles lhe renderam diversas homenagens. Um trecho de uma das ruas próximas ao Staples Center foi renomeada para Chick Hearn Court, assim como a estação de metrô que parava ali perto. O Lakers colocou um banner com um microfone ao lado das camisas aposentadas em seu ginásio, e ergueu uma estátua com sua imagem na frente do Staples Center. O monumento possui uma cadeira ao lado, para que os fãs possam sentar ao lado do lendário narrador e tirar fotos com ele.

David Stern, comissário da NBA na ocasião da morte de Hearn, comentou que “gerações de fãs foram trazidas à NBA graças à voz e à visão de Chick Hearn. Ele foi uma lenda de sua profissão”.

Pat Riley, técnico do Lakers durante a maior parte da Era Showtime, começou a carreira dentro da franquia como parceiro de Chick nas transmissões, durante dois anos e meio, disse que aprendeu muito sobre disciplina com o narrador, e todos sabemos a importância que a disciplina que Riley inspirava em seus comandados teve para sua carreira como treinador e dirigente na NBA.

Gerações de fãs foram trazidas à NBA graças à voz e à visão de Chick Hearn. Ele foi uma lenda de sua profissão. @DavidStern

Magic Johnson, um dos astros cuja carreira inteira foi narrada por Hearn, também lembra com carinho do amigo. “Quando eu falava com Chick, dificilmente era sobre basquete. Ele estava sempre tão orgulhoso de mim, me mandava pequenos bilhetes falando sobre isso. Isto me fazia sentir muito bem”.

02

Com Shaquille O'Neal

Jerry West, que fez parte do Lakers durante quase todo o tempo de Hearn com a franquia (West foi jogador entre 1960 e 74, técnico de 1976 a 1979 e dirigente de 1979 a 2001), disse que a cidade de Los Angeles perdeu um grande ícone, e que “em todos os anos que ele permaneceu como a voz do Lakers, ajudou a eternizar muitos momentos especiais”.

Realmente. Com tantos anos a serviço de uma das franquias mais vencedoras da história da NBA, introduzindo tantas expressões que até hoje fazem parte do linguajar do basquete e uma personalidade querida por todos ao redor da liga, não é exagero dizer que Chick Hearn foi a voz que redefiniu o basquete, imortalizando alguns dos momentos mais especiais que o esporte já viu.

Se arrepie com Chick Hearn


Dá um play e confira o que rola no nosso som!